Equipe do Sampaio Corrêa recepciona adolescentes da Funac

Um dia especial para adolescentes dos Centros Socioeducativos da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), que foram recepcionados pela equipe do Sampaio Corrêa Futebol Clube, no Centro de Treinamento do time. A visita foi acompanhada pelo diretor de Comunicação, Vinicius Bogéa.

Na ocasião, eles visitaram o memorial e conheceram um pouco da história do time, a sala de coletiva de imprensa e conversaram com os profissionais do Sampaio: Léo Condé (Técnico), Joel Sá (Massagista) e Anderson Rodrigues (Jogador). O massagista Joel Sá, um dos mais antigos da Comissão Técnica do Sampaio Corrêa, conversou com a equipe da Funac e desejou sucesso para os atletas da socioeducação.

O jogador Anderson Rodrigues, conhecido como Pimentinha, bateu um papo com os (a) educandos(a), explicando os maiores desafios da carreira e ressaltou, ainda, que qualquer atividade exige compromisso e dedicação. “Se vocês têm um sonho, não desistam, corram atrás. É preciso persistência e determinação. Tentem sempre fazer o certo e o bem para serem exemplos para outras pessoas”, diz.

Um dos adolescentes conta feliz da oportunidade de conhecer o CT do Sampaio Corrêa e da receptividade. “Agradecemos a receptividade do diretor, Vinícius Bogéa, que nos oportunizou conhecer a trajetória de alguns profissionais que compõem a equipe do Sampaio. Foi muito bom conhecer o técnico, Léo, e o jogador Pimentinha; eles são inspirações. Em breve, realizarei meu sonho de ser um jogador profissional e, quem sabe, no Sampaio”, comenta.

O técnico do Sampaio, Léo Condé, falou que o esporte encaminha para a vida. “O esporte tem um poder de socialização e aqueles que não se tornarem jogadores profissionais podem ser destaque em outras áreas de atuação, pois o esporte trabalha também valores importantes para a formação humana”, declara.

Vinicius Bogéa destacou a importância da visita para os (a) socioeducandos (a). “Foi muito bom receber a rapaziada para que entenda a importância que o esporte pode ter na vida, os caminhos que podem seguir, caso queiram ser um jogador de futebol. O esporte pode ajudá-los também na ressocialização”, pontua.

“É importante que os adolescentes do sistema socioeducativo, que têm um grande potencial e se destacam na modalidade do futsal, tenham oportunidade de conhecer um Centro de Treinamento e jogadores profissionais para que se sintam estimulados através dessas vivências”, explica Igor Pereira, da equipe técnica de Esporte e Lazer da Funac.