Campeonato de futebol e muito grafite em mais um fim de semana da copa ‘Taça Ilha Favela’

Este fim de semana ocorreu mais um encontro da turma de grafiteiros e também partidas de futebol pela I edição da copa ‘Taça Ilha Favela’, evento esportivo realizado pelo Governo do Maranhão em parceria com a Central Única de Favelas (Cufa), em São Luís. No total, seis grafiteiros se distribuem desta vez no Coroado e Sá Viana, locais onde ocorreram os jogos do campeonato. O objetivo é levar a arte e um pouco da história do futebol por meio do grafite aos jovens das comunidades.

“O grafite apresenta-se como forma de intervenção urbana e expressão estética em cidades do mundo inteiro e aqui em São Luís, não tem sido diferente. A prática do grafite atrai os jovens destas comunidades. Há uma interação natural dos moradores destes locais, principalmente junto aos jovens. Trata-se de um misto de cultura”, comentou um dos organizadores do ‘Taça Ilha Favela’ em São Luis, Emerson Melo, que também é monitor de grafitagem.

Para a idealização das atividades que vem ocorrendo desde o dia 5 foram rascunhados diversos roteiros, dando ênfase ao esporte e à cultura, dentro da intervenção artística.

Neste domingo, os bairros Coroado e Sá Viana receberam as turmas de grafite e os craques bom de bola. Para Flávio Brito, 16 anos, morador do Sá Viana, a união de atividade como grafite e futebol diversificam a copa ‘Taça Ilha Favela’ e permite que qualquer jovem mostre seu talento. “Podemos nos manifestar em dois tipos artes: grafite ou futebol. Basta deixar se envolver porque a oportunidade está sendo oferecida pelo Governo do Estado”, afirmou o estudante.

Já para o grafiteiro Gil Peniel, marcar presença nas comunidade é mostrar para cada vez mais pessoas a beleza das cores e formas diferenciadas do grafite. “O jovem conhece o trabalho do grafite e até os pais quebram o preconceito com o trabalho feito nas ruas. É uma iniciativa valorosa do governo em apoiar o movimento grafiteiro da capital”.

A secretária da Juventude, Tatiana Pereira, considera que os campeonatos e as demonstrações de grafite constituem uma oportunidade da juventude mostrar o interesse pelo esporte, pela arte e evitar a proximidade com drogas. “Aqui mostramos para os jovens o que vale a pena na vida, afastando-os do mundo das drogas. Eles participam e estão cientes de que não estão sozinhos, pois o governo se preocupa com a juventude maranhense e oferece atividades físicas e artísticas”.

A arte expressada nos muros integra parte da programação apoiada pelo Governo do Maranhão. O objetivo da atual gestão é consagrar cada vez mais eventos esportivos por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Sedel). Para esta edição do ‘Taça Ilha’ foram investidos R$ 288 mil em recursos, oriundos da Lei de Incentivo ao Esporte. “A prioridade é ter uma maior diversidade possível de projetos, com o intuito de promover a inclusão social através do esporte. Por isso, a Taça Favela em São Luís tem uma relevância muito grande no âmbito do desenvolvimento do esporte amador’, avaliou o secretário adjunto de Esporte da Sedel, Leonardo Cordeiro.

Taça Ilha

A I edição do ‘Taça Ilha’ é um evento voltado para moradores de ocupações da Grande Ilha de São Luís, que envolve atividades esportivas e culturais, tendo como destaque uma competição de futebol de campo masculino com atletas e novos artistas do estado. O evento ocorre sempre aos fins de semana e inclui shows com artistas de renome nacional.