Corrida de Combate ao Feminicídio em São Luís encerra VII Semana de Conscientização

A Avenida Litorânea, em São Luís, foi palco de uma importante iniciativa neste domingo (24): a Corrida de Combate ao Feminicídio, evento que teve início às 6h e marcou o encerramento da VII Semana de Combate ao Feminicídio, promovida pela Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) do Maranhão.

Com o tema “Acreditar que pode ser diferente”, a semana dedicada à conscientização sobre o feminicídio foi uma realização conjunta da Polícia Civil do Maranhão, com apoio da Secretaria de Estado da Mulher (Semu), Casa da Mulher Brasileira, ONG Somos Todos Marianas, além de diversos órgãos e entidades que compõem a Rede de Proteção à Mulher. O patrocínio da iniciativa privada também foi fundamental para o sucesso do evento.

A corrida contou com a participação de 500 inscritos, divididos em dois percursos: 5 km e 10 km, com largada na Praça do Pescador. Mais do que uma competição esportiva, o evento teve como objetivo sensibilizar a comunidade maranhense sobre as diversas formas de violência contra a mulher, incentivando o apoio às vítimas e o processo de denúncia. O combate ao feminicídio e outras formas de violência de gênero foram destacados como prioridades.

Susan Lucena, diretora da Casa da Mulher Brasileira, ressaltou a importância da união de esforços no enfrentamento à violência contra a mulher, enfatizando que o feminicídio é uma realidade que precisa ser combatida de forma incisiva.

“O governador Carlos Brandão sempre pauta que devemos fazer o enfrentamento real a todas as formas de violência contra a Mulher e é isso que temos feito, porque o feminicídio é uma morte anunciada e a gente precisa romper com os ciclos de violência, para que a gente possa seguir em paz, livres e vivendo. Nós mulheres merecemos ser felizes e estar livres de violência”, afirmou Lucena.

Wanda Moura Leite, chefe do Departamento de Feminicídio, destacou que a conscientização sobre as violências, naturalizadas no cotidiano, é essencial para evitar novos casos de feminicídio.

“Estamos na 7ª Semana Estadual de Combate ao Feminicídio, é uma corrida em prol da vida, de combate a todas as formas de violência contra a mulher. Quando conseguimos combater essas violências, que são, infelizmente, naturalizadas no nosso dia a dia, a gente consegue, sim, evitar a ocorrência de novos feminicídios”, apontou Wanda.

Carol Costa, representante da Associação Somos Todas Marianas, expressou sua gratidão pela mobilização da sociedade e dos órgãos públicos na Semana de Combate ao Feminicídio, enfatizando que cada participante do evento reafirma sua rejeição à violência contra as mulheres.

“Eu estou muito grata, este é mais um ano da semana de combate. Esse é um movimento dos órgãos públicos, da sociedade, das ONGs. Cada pessoa que vem para cá, também diz que não aceita a violência contra as mulheres”, ressaltou Carol.

O secretário de Estado do Esporte e Lazer (Sedel), Naldir Lopes, defendeu que a corrida se torne uma tradição anual. “Aqui tivemos o apoio total do governador Carlos Brandão, por meio dessa ferramenta muito importante, que é a Lei de Incentivo, via Sedel. Faz parte do nosso compromisso com o esporte. É o corpo são e a mente sã. Esta iniciativa tem grande relevância e deve entrar no calendário do Governo do Estado, para que aconteça todos os anos e seja ampliado o número de participantes”, disse Naldir Lopes.

Gabriela Moreira, designer, participou da corrida e destacou a importância de associar o desafio esportivo à luta contra a violência de gênero, enfatizando a necessidade de conscientização da população sobre essa questão que assombra o país.

“Este evento representa muita coisa, representa uma luta, mulheres morrem todos os dias. A corrida é um desafio,  e nada mais emblemático do que associar isso à essa questão da luta. É muito importante que a gente abrace essa causa para que as pessoas, a população e a sociedade entenda a importância de lutar contra esses dados que assombram o nosso país”.