Maranhão Esportes|Esporte Maranhense

Antônio Torres fala sobre ações no Imperatriz

O diretor-adjunto para Assuntos Jurídicos da Associação Comercial e Industrial de Imperatriz (ACII), advogado Antônio Torres, é o presidente eleito do Conselho Deliberativo (CD) da Sociedade Imperatriz de Desportos (SID). Ele foi eleito na noite do dia 20 de outubro (terça-feira), durante pleito realizado no Palácio do Comércio e Indústria de Imperatriz (PCI).

Em entrevista exclusiva a O PROGRESSO, Antônio Torres falou sobre as primeiras ações que providenciará na condição de presidente do Conselho Deliberativo do Imperatriz.

Os primeiros passos serão no sentido de tomar conhecimento sobre as questões burocráticas, como o registro da ata da eleição em cartório, comunicação do pleito a Federação Maranhense de Futebol (FMF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), sobre a existência da nova Diretoria do CD do Imperatriz.

Antônio Torres destacou que já mantém excelente relacionamento com o presidente da Federação Maranhense de Futebol, Antônio Américo. “Elé [chará Antônio] é meu amigo, nos damos muito bem, já estivemos juntos em outros momentos, atuando no campo da advocacia. A FMF já tem informações sobre a nova Diretoria do Imperatriz. Reforço que as questões burocráticas já estão sendo concluídas”, afirmou.

Para saber como se encontra a situação econômica do Imperatriz, a nova Diretoria do CD fará convite ao ex-presidente José Carneiro Santos (Buzuca) para que o mesmo faça explanação sobre o assunto e, consequentemente, uma prestação de contas de sua gestão, para que os novos diretores assumam com a certeza de que terão como iniciar um trabalho que possa levar a equipe a conquista das metas por ele traçadas.

O novo presidente do CD do Cavalo de Aço, como é mais conhecido o Imperatriz entre sua expressiva torcida, reafirma ser necessário haver transparência durante o momento de transferência de Diretoria, pois só assim será possível tomar conhecimento sobre a situação da equipe, sabendo sobre o que tem a pagar e a receber. Ou seja, ter noção real do quadro, conhecendo as dívidas e o que o clube tem a receber. “Na verdade, trata-se de uma previsão estatutária, ou seja, o presidente tem de prestar contas com o Conselho Deliberativo, para que seja possível fazer a previsão orçamentária para o ano seguinte”.