Projeto Atletismo Maranhão é lançado em Codó

O Projeto Atletismo Maranhão, que tem uma das principais equipes do Nordeste e do País, foi lançado oficialmente nesta sexta-feira (26/2) na cidade de Codó, que fica a cerca de 300 quilômetros de São Luís. As atividades começaram em 2020, mas só agora, por causa da pandemia, a iniciativa foi apresentada de fato. E com novidades.

O projeto tem como patrono o maranhense José Carlos Moreira, o Codó, ganhador da medalha olímpica de bronze no revezamento 4×100 m nos Jogos de Pequim-2008.

Na cerimônia de lançamento, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) foi representada pelo presidente do Conselho de Administração Warlindo Carneiro da Silva Filho. “Foi uma grande alegria participar de um evento tão importante para o atletismo e o esporte brasileiro”, comentou.

A apresentação do Projeto Atletismo Maranhão contou com a participação do secretário estadual de Esportes do Maranhão, Rogério Cafeteira, responsável pela criação da iniciativa por meio de incentivo fiscal, do prefeito de Codó, José Francisco Lima Neres, do medalhista olímpico Claudio Roberto Sousa, entre muitos outros, como Alexsandro Melo, que está qualificado para a Olimpíada de Tóquio-2021 no salto triplo.

Além de Alexsandro, conhecido como Bolt no atletismo, a equipe CT Maranhão tem vários destaques do esporte, como Rodrigo Nascimento, Eduardo de Deus, Vitor Hugo dos Santos, Bruno Lins, Flávio Gustavo da Silva Barbosa, Joelma Sousa e Adely Oliveira Santos.

E ganhou reforços expressivos para a temporada 2021. Um deles é a paulista Ana Carolina Azevedo, uma das melhores velocistas do País, que foi eleita o destaque feminino do Campeonato Brasileiro Caixa Sub-23, disputado em dezembro, em Bragança Paulista. Ele ganhou medalha de ouro nos 200 m e de prata nos 100 m no Troféu Brasil, também em dezembro, em São Paulo.

Outra velocista de destaque que reforça o time é Letícia Lima, bronze nos 200 m nos Jogos Olímpicos da Juventude de Buenos Aires-2018. Ela foi eleita o grande destaque do Troféu Norte-Nordeste Caixa, realizado em 2020 no Recife, ganhando os 100, 200 e 400 m.

“Foi a realização de um sonho, depois de quase um ano de atividades”, disse Márcia Cristiane Araújo, coordenadora do Projeto. Além de São Luís e de Codó, foi anunciado também o início do núcleo de Timon, quer também fará a detecção e treinamento de atletas em iniciação no atletismo.