Presidente crítica sequência desumana de jogos do Sampaio e aponta desrespeito às leis esportivas

Pela segunda semana consecutiva, o Sampaio Corrêa entrou em campo com menos de 48h de intervalo entre duas partidas, contrariando a regra estabelecida no Regulamento Geral de Competições, que pede intervalo mínimo de 66 horas entre um jogo e outro.

Atletas e comissão técnica se mostraram descontentes com a situação, e recorreram ao presidente Sergio Frota, que ainda tentou, junto à Federação Maranhense, adiar a partida contra o Imperatriz, sem sucesso: “Liguei para o presidente da federação, o Antônio Américo, expliquei a situação, mas ele me disse que o repasse do governo do Estado aos outros clubes dependia da transmissão desse jogo. Para não prejudicar ninguém, acabei aceitando. Os dirigentes do Imperatriz também não aceitaram a mudança de sábado para domingo, pois alegaram que ‘a torcida de Imperatriz está acostumada a jogos em dias de sábado’. Então, vemos como está sendo conduzido esse processo. A responsabilidade é minha, mesmo sabendo que se trata de uma situação desumana”, explicou o dirigente boliviano, visivelmente contrariado.

Em uma semana, o Sampaio disputou três partidas, incluindo duas viagens ao interior, enquanto o Imperatriz vinha apenas treinando desde o seu último compromisso na competição, no último dia 5 de fevereiro: “Além de nos submetermos a esse calendário absurdo, ainda precisamos lidar com os gastos extras, como uma viagem de avião para Imperatriz. Dinheiro que sai dos cofres dos clubes, já que no Campeonato Maranhense nós pagamos para jogar”, ressaltou o presidente Sergio Frota.

Por fim, Frota questiona o cumprimento das Leis esportivas, completamente ignoradas contra o Sampaio nas últimas semanas: “Após nos submetermos a dois jogos seguidos com menos de 48 horas de intervalo, pergunto se a legislação esportiva não vale nada? Perder faz parte, e assim como ganhamos da outra vez, ficou o descontentamento por causa do desgaste dos atletas, que não são máquinas. Não irei permitir que o Sampaio passe novamente por esse tipo de situação”, afirmou.