Imperatriz avalia possibilidade de adotar mudança para SAF

Candidato a presidente do Imperatriz nas eleições previstas para o primeiro trimestre de 2022, o médico Wagnner Ayres defende a transformação do clube em SAC (Sociedade Anônima do Futebol) como única medida para reerguer e tornar o clube forte e altamente competitivo.

O modelo que transforma a agremiação esportiva em “clube-empresa” ganhou grande visibilidade depois que o ex-jogador e empresário Ronaldo Fenômeno anunciou a compra de 90% das ações do Cruzeiro, clube que o revelou e desde então vários clubes começam a seguir o mesmo caminho como o Vasco da Gama e o Coritiba-PR.

A declaração de Wagnner Ayres sobre a proposta de transformar o Cavalo de Aço em SAF, se deu durante a coletiva virtual de apresentação do balanço das atividades em 2021 na Aço TV e reforçada ontem à reportagem.

“Já venho conversando sobre ela faz tempo com nossos advogados e a única solução que nós vimos com essas dívidas trabalhistas ai é fazer essa SAF, do contrário praticamente inviável comandar o clube porque dificilmente o presidente vai conseguir sanar estas dividas”, explicou.

O atual dirigente destacou que a SAF é o caminho para transformar o Cavalo de Aço.

“Esse é o caminho para nós, que queremos uma gestão séria e compromissada por que para fazer uma SAF e continuar do que se vinha fazendo é melhor deixar como está”, raciocinou. Em outras palavras, Wagnner Ayres está convicto que a saída para a próxima gestão será transformar o clube em SAF “o que estaria dentro das questão de organizar a casa, não adianta se ter um time lindo e maravilhoso e ter uma situação financeira do jeito que está, com muitas dividas trabalhistas e outras”.

Sobre as dividas outras como alugueis, por exemplo, podem ser renegociadas, mas as trabalhistas preocupam por que geralmente a justiça faz o bloqueio de qualquer recurso que o clube possa receber.

Outros clubes

Desde que Ronaldo Fenômeno anunciou a compra de 90% das ações do clube que o revelou, que o tema SAF vem sendo muito discutido no mundo do futebol.

Outros clubes já anunciaram que pretende adotar o novo modelo de gestão voltado para “clube-empresa”. Dentre os clubes mais conhecidos estão o Coritiba e o Vasco da Gama, agremiações que passam por dificuldades financeiras e foram abaixo das expectativas no último Campeonato Brasileiro.