Árbitro cita em súmula dois jogadores do Moto Club por briga

A partida entre Moto Club e Piauí, pela última rodada da fase classificatória da Copa do Nordeste, na noite de quarta-feira passada, no Castelão, acabou em confusão, com direito a agressões, briga generalizada e jogo que foi encerrado, sem o apito do árbitro, aos 56 minutos do segundo tempo. O empate em 1 a 1 ficou de lado. Nos acréscimos, já aos 50, os zagueiros Luís Fernando, do Papão, e Rafael Negrão, do Enxuga Rato, acabaram discutindo feio e trocaram socos. 

As cenas foram de selvageria no Castelão. A tropa de choque da PM teve que entrar em campo para conter a confusão. O goleiro Lucas, do Enxuga Rato, relatou que foi agredido pelo meia Davysson, que teria chutado a sua cabeça. Com a agressão, o arqueiro fraturou o nariz. “Infelizmente fui separar a briga e chegaram por trás e chutaram meu rosto” explicou o goleiro Lucas. Indignado, o técnico Paulo Moroni afirmou que gostou de como a partida se desenvolveu até o episódio final. Ele classificou a briga generalizada como lamentável, atribuindo culpa à arbitragem. 

“É triste, mas o zagueiro provocou o Rafael, quando viu que recebeu o vermelho saiu na porrada, sabemos que o Moto está num momento difícil, que os jogadores estão estressados, mas o árbitro não deveria ter dado tanto tempo. O Davysson chutou a cabeça do nosso goleiro, que estava no chão, como se fosse uma bola. É uma situação complicada com um pai de família, isso é lamentável, o garoto está sangrando até agora. É lamentável” classificou Moroni.

Luís Fernando, Wanderley foram citados na súmula do árbitro José Cleuton Souza Lima. Davyson foi citado apenas por ter dado um soco. Para piorar a situação, o árbitro cearense ainda relatou objetos lançados em campo durante a confusão, o que pode fazer o Moto ser punido com multa e perda de mando de campo. Além de Luís Fernando, José Cleuton também expulsou o meia motense Wanderley. Do Piauí, ele expulsou Eduardo, Rafael Negrão e Bruno Ernandes.

Apesar do Piauí não brigar por classificação, o Moto restava uma ponta de esperança – frustradas com o empate em casa. Por conta das expulsões, os clubes terão desfalques na Copa do Brasil. As suspensões automáticas devem ser cumpridas na competição nacional seguinte. O Piauí estreia com o Salgueiro dia 1º de abril, em Teresina. O Moto encara o Boa Esporte na partida de volta dia 15 de abril, em Varginha, Minas Gerais.

SÚMULA DO ÁRBITRO – CARTÕES VERMELHOS

Wanderley Silva Ferreira (Moto/MA) – Expulsei por atingir com tapa os peitos do seu adversario o sr. Bruno Ernandes Francisco do Piaui, isso fora da disputa de bola.

Eduardo Junho Gonçalves Moura (PIAUÍ/PI) – Expulsei por atingir com uma entrada as pernas do Edson Lima de Abreu do Moto, numa disputa de bola.

Bruno Ernandes Francisco (PIAUÍ/PI) – Expulsei por atingir com um empurrão nos peitos de Wanderley do Moto, isso fora da disputa de bola.

Luis Fernando Nascimento Macedo (Moto/MA) – Expulsei direto por atingir com um soco o rosto de Rfael Mendes do Piaui, isso fora da disputa de bola.

Rafael Mendes Alves da Silva (PIAUÍ/PI) – Expulsei direto por atingir com um tapa o rosto de Luís Fernando do Moto, isso fora da disputa de bola.

OCORRÊNCIAS / OBSERVAÇÕES – Após as expulsões dos atletas citados, iniciou-se um conflito entre alguns atletas e suplentes das equipes. Conseguimos identificar que todo o fato foi ocasionados por Luis Fernando do Moto e Rafael Mendes do Piaui, que trocaram socos e chutes. A equipe de arbitragem observou que Lucas, goleiro do Piauí, caído ao solo levou um chute no rosto desferido por Davyson Abreu, do Moto. Que Natanael, do Piauí, atingiu com um chute as costas de Lis Fernando do Moto. 

Esclareço que a arbitragem conseguiu visualizar todo ocorrido por está sendo envolvida no sistema de proteção do policiamento, mas que todo o episódio foi contido e apaziguado pelo policiamento do estádio. Quando deixávamos o campo de jogo com a proteção policial, torcedores do Moto Club arremessaram copos e garras de agua em nossa direção, quando nos deslocávamos ao túnel dos vestiários da arbitragem, mas não lograram êxito em nos atingir.

Fonte: França Melo