Os maiores mitos de apostas esportivas

Para muitas pessoas, fazer apostas é uma das principais maneiras de ganhar dinheiro extra hoje em dia. Quem trabalha com estatísticas e probabilidades da maneira correta consegue receber prêmios fazendo algo que o agrada, como por exemplo assistindo a jogos de diversos esportes.

Existem certos mitos, no entanto, que acabam afastando várias pessoas deste negócio. Buscando desmitificar o mundo das apostas, elaboramos este artigo com os maiores mitos das apostas esportivas.

1.  Manipulações de resultados são comuns e difíceis de se evitar

Este é um mito muito comum, mas, a verdade é que casas de apostas devem seguir uma série de leis e regras para operar em diversos países. Sites que operam legalmente são monitorados e submetidos a auditorias constantemente, o que aumenta a confiabilidade dos mesmos.

Adicionalmente, as casas de aposta possuem sistemas de alerta para indicar grandes apostas em placares relativamente raros. Por exemplo, se alguém apostar R$ 200 mil em um placar de 4×1 ou 3×0 um alerta será emitido. Outro ponto a ser considerado é que, fraudes não são interessantes do ponto de vista financeiro para casas de aposta, e esse é um dos motivos pelos quais as mesmas estão constantemente investindo em tecnologias para detectar possíveis esquemas ilegais.

Por fim, vários órgãos tais como o Tribunal de Justiça Desportiva, Polícia Civil, Ministério público e até mesmo a FIFA estão constantemente analisando resultados de jogos para evitar que haja manipulação. Recentemente a FIFA cancelou um jogo das eliminatórias para a Copa do Mundo por manipulação de resultados. O árbitro que estava envolvido foi banido do esporte e está proibido de realizar qualquer atividade relacionada ao futebol pelo resto da vida.

2.  Casas de apostas não são íntegras

Esse é outro mito comum, mas a verdade é que a grande maioria das casas de aposta operam de maneira idônea, transparente e honesta. Esse é um ramo muito competitivo visto que, existem dezenas de casas de aposta e qualquer suspeita de fraude pode manchar permanentemente a reputação de uma empresa do ramo.

Para quem ainda acha que não é fácil achar boas casas de apostas, vale a pena ler o regulamento de cada plataforma e verificar os termos antes de investir seu dinheiro na mesma.

3.  Sites de aposta são controlados por criminosos

Para criar um site de aposta, é necessário que diversas pessoas, com alto grau de capacitação técnica, estejam envolvidas. Embora alguns crimes realizados sejam bem complexos, pode-se afirmar que as dificuldades técnicas tornam a aplicação de golpes nesse setor algo raro e difícil de ser executado.

Ainda assim, é relativamente fácil para um apostador verificar a idoneidade de uma casa de aposta. A leitura das regras da casa de aposta associada à verificação de tais normas é uma das maneiras mais simples e eficazes. Por exemplo, se uma das regras diz que apostas podem ser feitas até uma hora antes dos jogos, mas você percebe que, em algumas partidas, as apostas estão sendo realizadas até alguns minutos antes das mesmas, evidentemente algo está errado.

4.  O sucesso depende pura e unicamente da sorte

Apostar com base apenas no palpite, sem levar fatores estatísticos em consideração é um dos maiores erros de apostadores em geral. A verdade é que, em geral, certas tendências tendem a ser seguidas. Na Copa do Mundo disputada no Brasil, por exemplo, um modelo criado por estatísticos conseguiu acertar 3 dos 4 finalistas, e este mesmo modelo acertou em cheio a campeã do mundo de 2010.

Isso não quer dizer que palpites sem embasamento estatístico não vão funcionar. Animais como o gato Achiles e o polvo Paul são exemplos de palpites que certamente não se baseiam em nenhum parâmetro estatístico, mas ainda assim, atingem uma taxa de sucesso, em alguns casos, bem alta. Cabe ao apostador lembrar, que, no final das contas, se todos os chutes completamente aleatórios forem computados, a taxa de acerto certamente tenderá a 50%.